A falta que uma metodologia ágil faz para uma empresa

Se tem duas coisa que eu sinto falta dos 3 anos em que trabalhei na Locaweb são – além dos meus colegas de trabalho – o uso do Scrum e do Kanban nos projetos, nas pequenas tarefas, enfim, no dia-a-dia profissional e no princípio KISS (leia aqui).

No começo era tudo novo e confesso que foi bem difícil se adaptar, mas a adaptação foi rápida e com o tempo peguei o ritmo dos sprints, das reuniões, dos prazos, etc. Depois de um tempo era praticamente impossível não trabalhar desta maneira, uma vez que todos os setores da empresa com quem estive envolvido, direta ou indiretamente, trabalhavam com alguma metologia ágil, e era preciso “casar” os prazos e as prioridades para que todos os projetos e tarefas fossem cumpridas no prazo.

Era muito legal poder começar um projeto apenas com as estimativas e depois, com o tempo, vê-lo tomando forma e por fim, vê-lo concretizado e funcionando. Em alguns momentos até levei o Scrum e o Kanban para minha vida pessoal, como por exemplo numa reforma do apartamento e em alguns projetos pessoais.

Mas os tempos de Locaweb acabaram… Logo em seguida fui para uma pequena empresa de internet com aproximadamente 10 funcionários. Desde o início fiz questão de implementar uma metodologia de trabalho e também pelo Kiss. Optei então por fazer um Scrum-Ban, uma mistura do Scrum com o Kanban. Quadro branco comprado, canetas e post-its sempre à mão e pronto! As reuniões de planejamento eram semanais e nela definiamos de maneira geral o que seria feito de novo, arrumado, melhorado, além das tarefas de rotina. Enfim, funcinou super bem. Diversos projetos foram entregues com qualidade, todos dentro do seu timing e raramente tinhamos problemas técnicos ou correções. Apenas melhorias!

Atualmente estou trabalhando em uma grande indústria de equipamentos de informática e tecnologia, gerenciando a área de E-commerce. Gerencio duas pessoas e sou “cliente” da área de T.I., que é a responsável por toda parte técnica do projeto, ERP, integrações, etc. Ao contrário da empresa anterior, com apenas 10 funcionarios, agora estou em uma estrutura pelo menos 20 vezes maior, portanto, muito mais complexa e com uma forte pressão por metas.

Logo no início implementei a mesma metodologia usada na empresa anterior, ou seja, o ‘Scrum-ban”. Ao invés do quadro branco, optamos por usar uma ferramenta on-line. Só que dessa vez infelizmente não deu certo. Porque não deu certo? Isso é o que eu me perguntei por algum tempo… e depois de insistir na implementação da metodologia, mesmo que fosse de uma forma mais simples e menos burocrática, cheguei a algumas conclusões…

1 – COMPROMETIMENTO
Para que o uso da metodolia dê certo, seja ela Scrum, Kanban ou qq outra, é preciso que a pirâmide da empresa, começando por sua liderança, esteja comprometida e que respeite as equipes de trabalho que a utilizam. O comprometimento principal deve ser da equipe envolvida, ainda mais se algum de seus membros está com resistência a entrar na dança.

2 – IMEDIATISMOS
A metodologia E.P.O. (É Pra Ontem) é imediatista e seus resultados só trazem problemas para a empresa ou para os responsáveis pelo projeto. Líderes que não respeitam o andamento de um projeto e já pedem para iniciar outro sem saber se a equipe tem condições de tocá-lo. Trata-se do famso “quem tem pressa come crú”, ou se preferir, o velho ditado também serve: “a pressa é a inimiga da perfeição”. Além disso, sou favorável que um projeto leve mais tempo para ser entregue, mas que seja entregue com qualidade, ao invés de um projeto seja entregue rápido e que leve mais tantos outros meses para ter seus bugs corrigidos. Time is money! Seja sincero nas estimativas!

3 – ALINHAMENTO ENTRE AS EQUIPES
A equipe fornecedora e a equipe cliente precisam estar muito bem alinhadas, não basta o cliente pedir a tarefa e ficar sentada esperando. O fornecedor precisa estimar prazos e comunicar o cliente, inclusive as alterações de estimativas de entrega.

4 – INTERFERÊNCIAS
Interferência direta de superiores nos projetos e no seu desenvolvimento.

AVISO: Não sou nenhum especialista em metologias ágeis e certamente devem existir outros fatores tão importantes quanto os citados acima. Sinta-se à vontade em comentar este artigo…

P.S.: Caso você não sabe o que é Scrum ou Kanban, visite este link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *